As joaninhas são isentas de cor, classe social, credo, sexo ou idade. Elas assumem personalidades e aspectos diferentes a cada hora. Dessa maneira, elas ganham um novo contexto a cada momento. Para diferenciá-las na história, basta saber: elas ora se chamam João, ora Joana. E elas não são muito diferentes de nós, que andamos incógnitos todos os dias pelas ruas, sem notar nem sermos notados, isentos de diferenciação para quem não nos conhece. Pode não haver remédio para isso, mas agora há um genérico: as joaninhas.

 

Joãos e Joanas é o universo onde as joaninhas habitam. Seu ponto fixo é este site aqui, mas não se limita à ele. É possível encontrá-lo publicado em algumas revistas, jornais e até livros. Já fez parte da programação da TV Minuto, maior mídia in door de São Paulo – aquelas tevezinhas no metrô paulistano. Já fez parceria com o Sampa in Stampa, onde vendia camisetas temáticas sobre a cidade de São Paulo. Já venceu o maior congresso acadêmico de comunicação do país, o Intercom, na modalidade Quadrinhos em 2009. Foi selecionado e exposto no Salão de Humor de Piracicaba em 2010. Ganhou menção honrosa no Concurso Luso-Brasileiro de Cartum Universitário em 2011. Teve seu livro sendo vendido na Bienal do Livro de São Paulo em 2012. Todos os anos, organiza o Concurso das Joaninhas, onde diferentes artistas são convidados para fazerem sua tirinha de joaninha. Até no Fantástico já apareceu. E está sempre inventando coisas novas. Acompanhe e ajude a construir este mundo!

 

Pedro Hutsch Balboni tem 25 anos, é formado em Comunicação Social pela ESPM e lá criou suas joaninhas, em 2008, primeiro para um concurso, depois adaptou para outro, e acabou aqui. Ao contrário da maioria dos autores de webcomics, ele não desenha. E como a maioria desses autores, adora falar em terceira pessoa sobre ele mesmo.